Desperdício

UMA COISA É CERTA, ERRAR NA CONSTRUÇÃO, DÓI NO SEU BOLSO E NA NATUREZA, DESPERDÍCIO DE MATERIAL VIRA LIXO DE OBRA E A NATUREZA COITADA É QUEM PAGA A CONTA.

Dicas de Ubiraci Espinelli Lemes de Souza: Há perdas que não podemos controlar, mas há outras previsíveis e fáceis de evitar. Isso tanto em construções multifamiliares como em obras particulares.

O problema é que o desperdício de materiais ainda é grande aqui. Quanto custa tanto desperdício?

No geral 3 a 8% do valor total da obra se referem a este tipo de perda. No universo de obras particulares este percentual sobe ainda mais.

O desperdício é um problema que cada obra terá que resolver mais cedo ou mais tarde, para não colocar em risco a sua saúde financeira.

A redução do desperdício nas obras  ecologicamente falando é menos lixo no meio ambiente.

Outros causadores de desperdício são os descarregamentos os vilões da história.

Carrinhos de mão não aconselhados para transportar tijolos, os cantos arredondados deles facilitam a quebra dos tijolos durante o transporte. O ideal é optar por recipientes sem cantos arredondados.

Outra dica é tirar a cerâmica da caixa de papelão. A umidade apodrece o papelão e acaba afetando a cerâmica.

Pilhas de materiais não devem ter mais de 1,60m . Quanto mais altas, mais fáceis de desmoronar é mais difícil para se retirar o que se quer. Muitas quebras podem ser evitadas assim.

Cimento, cal e argamassa devem ficar afastados de paredes, para evitara umidade que faz com que estes materiais endureçam. Uma recomendação é que não se guarde mais de 20 sacos de cimento, material que estraga com a umidade.

Já a  areia nunca deve ser colocada sobre o solo. O conteúdo deve ser delimitado com tábuas de madeira, para que não se misture com outros materiais.

A perda de argamassa em paredes não perpendiculares; o desperdício de cerâmicas e azulejos  quebrados na hora do corte .

Estocagem errada  pode transformar cimento em pedra.

Voltar

Compartilhe
[Facebook] [LinkedIn] [Twitter] [Windows Live] [Yahoo!] [Email]